skip to Main Content
10 Perguntas Para Fernando Oliveira, Diretor De Tecnologia Da DMCard

10 perguntas para Fernando Oliveira, Diretor de Tecnologia da DMCard

No bate-papo de hoje, o blog conversou com o líder responsável por todas os avanços e transformações tecnológicas da empresa nos últimos dois anos

 A DMCard cresceu muito nos últimos dois anos. A empresa tem transformado seu modelo de negócio e lançado no mercado diversos novos produtos. E esse período é o mesmo em que o nosso Diretor de Tecnologia Fernando Oliveira está aqui com a gente.

É sob a liderança de Fernando e com o trabalho das áreas que respondem a ele que temos nos consolidado como uma das empresas mais tecnológicas do país. Para impulsionar esse desenvolvimento, no último ano nós lançamos o GYPZ LAB, nosso laboratório de tecnologia e ainda implementamos a metodologia ágil no dia a dia de nossos colaboradores.

Além de tudo isso, a pandemia também acabou exigindo ações e transformações urgentes de tecnologia para que a empresa pudesse colocar 100% de seus colaboradores em segurança, trabalhando em home office, se também quiser conhecer os detalhes desse período desafiador, leia aqui no blog a nossa postagem “Transição para uma empresa 100% digital em tempo recorde”.

Para você conhecer um pouco mais sobre esses e outros detalhes da carreira do nosso diretor e até mesmo dicas de como trabalhar com a gente, convidamos Fernando para esse segundo papo, que faz parte de nossa série especial “10 perguntas para…”, que fez sua estreia conversando com Denis Correia, nosso presidente, e você pode ler clicando aqui.

Então, confira abaixo nossas 10 perguntas para Fernando Oliveira:

1. Você está na DMCard há pouco mais de dois anos como Diretor de Tecnologia e nós gostaríamos de saber um pouco sobre sua trajetória profissional antes de chegar ao time DMCard. Quais áreas de estudo você se aprimorou, como foi sua carreira até aqui?

Basicamente minha carreira foi toda construída na área de TI (Tecnologia da Informação), na qual iniciei aos 19 anos.

 Antes disso, ajudava meu pai que trabalhava com móveis desde os 13 anos. Grande parte dos meus valores aprendi desde criança com meus pais e pude aprimorá-los trabalhando com ele.

 Meu primeiro emprego na área foi como operador de computadores de CPD (Centro de Processamento de Dados) em uma “startup” que, naquela época, ainda não eram chamadas assim. De lá para cá nunca mais saí da área.

 Eu sempre digo duas coisas às pessoas, a primeira é um pouco clichê, mas quando olho pra mim mesmo vejo isto, e por isso volto a dizê-las aqui. Em primeiro lugar, devemos fazer o que gostamos pois, dessa forma, seu trabalho sempre será um prazer, e este é o meu caso. A segunda é que eu já me perguntei várias vezes em que outra carreira eu poderia me encaixar e a resposta que encontro é: em nenhuma outra. Eu adoro tecnologia, parece que faz parte de mim. Desde muito jovem, no meu ensino médio, que eu me apaixonei e de lá para cá acompanho todas as tendências no mundo inteiro e tento me aprimorar constantemente. Quem trabalha com tecnologia sabe que a área exige essa dedicação da gente.

Durante minha trajetória profissional já passei por grandes empresas, inclusive várias multinacionais, trabalhando desde projetos considerados pequenos até em grandes projetos que se expandiram para o mundo. Contudo foi no comecinho de 2011 que surgiu a minha primeira oportunidade de trabalhar na área financeira, mais especificamente na área de meios de pagamentos com cartões, e foi quando descobri todo um ecossistema extremamente necessário para a vida das pessoas que é tecnologia pura e que tudo que eu ajudasse a construir dentro deste ecossistema poderia realmente fazer a diferença. Foi a partir de então que comecei a crescer em minha carreira.

 Entre tantos projetos posso citar alguns dos quais me orgulho:  ajudar a implementar a Nota Fiscal Eletrônica no Brasil, participar da criação de uma das maiores aquirencias do Brasil, a Stone, e também lançar uma das primeiras contas digitais do país com a Superdigital, hoje do grupo Santander. 

2. Por que você escolheu fazer parte da DMCard?

Eu poderia responder que ajudar a DMCard com a tecnologia me chamou a atenção, mas esse não foi o fator principal. 

Desde nosso primeiro bate papo que foi com o Denis Correia, nosso Presidente, e o Carlos Tamaki, nosso Diretor Financeiro da época, que eu já percebi como a DMCard era diferente. Os sonhos, a vontade de fazer a diferença na vida das pessoas, o desafio de querer estar à frente, tudo isso eles conseguiram me passar em pouco menos de uma hora de conversa. A partir daí, eu tive certeza de que eu gostaria muito de fazer parte da empresa e, aqui entre nós, isso eu não havia contado para ninguém ainda, eu sempre checava meu e-mail todos os dias para ver se já tinha alguma resposta. Virou meu sonho e, hoje, procuro dar sempre o meu máximo neste meu sonho que foi realizado.

3. A DMCard sempre teve um grande cuidado com o bem estar de seus colaboradores. O que mais te surpreendeu assim que você chegou ao time?

Como eu comentei na resposta da primeira pergunta, pude trabalhar em diversos ambientes de diversas empresas, quase uma centena delas, algumas bem grandes e com fama de tratar bem seus funcionários. Mas, quando eu cheguei na DMCard eu pude perceber, desde meu primeiro dia, que o cuidado com as pessoas e seu bem estar era extremamente genuíno. Um valor que era, ainda é, e continuará sendo o primeiro fator a ser olhado em toda a empresa, antes mesmo de faturamento ou lucro, o que é, sem sombra de dúvidas, formidável.

4. Qual foi o maior desafio que você enfrentou em todo o tempo que está na DMCard?

Posso dizer que, na verdade, foram dois desafios simultâneos. O primeiro foi ajudar na implementação da cultura ágil. Este é um desafio em qualquer empresa que ainda não utilize a metodologia pois é uma mudança de paradigma, uma forma nova de pensar produtos e projetos e que eventualmente traz uma transformação digital em paralelo que também não é um desafio pequeno. Então, são duas grandes coisas que ocorrem ao mesmo tempo dentro da empresa. 

Isso exigiu muito apoio da Diretoria e da área de Gente e Gestão, mas principalmente, era importante que as pessoas acreditassem e fizessem acontecer. E foi isso o que mais me surpreendeu dentro da DMCard. As pessoas apoiaram, acreditaram e o engajamento foi tão grande que o processo que achamos que aconteceria em três anos ou mais aconteceu em apenas dez meses. Isto é um mérito total dos nossos colaboradores que foram extremamente capazes de fazer tudo isto acontecer tão rapidamente.

5. O Home Office teve grande aderência nas áreas que você lidera. Você pôde notar grande diferença com esse novo modelo de trabalho? Como ele tem te beneficiado?

Eu quero aproveitar para dizer que sempre fui a favor do home office, mas ao mesmo tempo observava que o mercado como um todo ainda tinha dúvidas se a produtividade continuaria a mesma. E quando olhamos para o mercado financeiro, esse tipo de restrição era ainda maior porque envolvia preocupação com a segurança das informações de nossos clientes.

Esse tempo de home office impulsionado pela pandemia foi um aprendizado para mim, pois isto demonstra que, muitas vezes, podemos fazer antes e diferente e não somente olhar para o “status quo”

Respondendo a segunda questão, pudemos sim notar diferença com esse novo modelo de trabalho, pois a produtividade aumentou. No entanto, principalmente, vemos que as pessoas também estão mais felizes, o que é um dos nossos valores mais importantes. E cada uma tem o seu motivo, seja devido ao deslocamento, que não é mais necessário, ou a segurança que isso traz nestes tempos de pandemia.

6. O GYPZ Lab, nosso laboratório de tecnologia, foi inaugurado em 2019 e desde então tem contribuído muito na criação de novos produtos com tecnologias de última geração. Você poderia nos explicar quais ferramentas os colaboradores do GYPZ Lab utilizam para desenvolver e como é o dia a dia nessa área?

Olha, eu poderia citar ao menos umas duas dezenas de novas tecnologias que estamos utilizando, mas a resposta ficaria muito técnica. O importante a se dizer aqui novamente é o apoio que todos trouxeram a esta ideia. O processo que envolveu desde a concepção até a materialização do GYPZ Lab.

É incrível para mim como as pessoas são tão abertas e competentes em materializar algo aqui na DMCard. Eu me surpreendo sempre e por isso tenho certeza de que a empresa crescerá cada vez mais a cada dia.

O que eu sempre recomendo a quem trabalha com a gente no GYPZ Lab é que este ambiente da DMCard precisa estar sempre “cabeça a cabeça” em termos de tecnologia com as principais empresas do Vale do Silício e das grandes startups chinesas que tem surgido. Além disso, também incentivamos o pensamento digital, o pensamento inovador, que pode nos levar a criar algo diferente do que existe no mundo.

7. Nós já desenvolvemos muitos produtos com grande contribuição dos times de tecnologia. A DMConta, o cartão DMCard Mastercard e o empréstimo pessoal são alguns exemplos disso e de como nós gostamos de produzir tudo isso internamente. Você pode comentar sobre projetos futuros para a área de tecnologia?

Vou fazer aqui um complemento da resposta anterior. Temos olhado muito para os grandes avanços digitais ocorridos no mundo. Desde inovações ocorridas em nosso mercado, novas ferramentas, passando pela área de ciência de dados e inteligência artificial. É importante que estejamos antenados e que eventualmente possamos sair na frente, porque isso pode trazer muitos ganhos para nossos clientes promovendo uma grande inclusão financeira no Brasil e, por que não, no mundo.

8. Atualmente, a área de desenvolvimento da DMCard tem crescido em um ritmo acelerado, quais desafios os novos profissionais que estão chegando vão encontrar nesse time?

Já fui desenvolvedor por muitos anos e acredito que o que possa ser um desafio em outras áreas, para os desenvolvedores, na verdade, é algo considerado muito bom, que é se adaptar e aprender a lidar com novas tecnologias que estamos implantando ao mesmo tempo em que temos de dar todo o apoio em nosso sistema legado.

9. Em março de 2020, a área de Suporte/Infra foi a grande responsável por transferir todos os colaboradores do escritório e da central de atendimento para home office, em uma semana estávamos todos em casa. Tamanha agilidade e rapidez foram necessárias para isso, mas também preparo com tecnologias e equipamentos. Como foi para você liderar essa ação e quais adaptações foram necessárias desde então?

Em agosto de 2019, havíamos criado um grupo multidisciplinar que envolvia diversas áreas para tratar de um plano de home office que se chamava “plano de contingência”.  Este plano era considerado um plano emergencial para algum tipo de catástrofe que pudesse acontecer ao nosso escritório físico. Isso nos permitiu testar ferramentas e até mesmo realizarmos simulações com um número reduzido de pessoas

 Quando a pandemia chegou pudemos agir rapidamente e multiplicar este plano para nossas centenas de colaboradores com a ajuda e comprometimento total de nossa área de Suporte/Infra. Cito aqui, com muito orgulho, o trabalho que todos desta área realizaram. Trabalharam incansavelmente, mas a cada vez que conversava com eles, estavam sempre com um sorriso no rosto e me diziam: “hoje já temos mais X pessoas em casa”.

 Outra coisa que é importante citar é que não bastava colocar as pessoas em casa, mas dar todo o suporte necessário a elas e isso foi feito por eles com todo carinho. Portanto, foram realmente impecáveis! 

10. A área de tecnologia tem crescido rapidamente, estamos constantemente em busca de novos profissionais para integrar os times. Você poderia nos explicar os diferenciais de fazer parte do time da DMCard nessas áreas?

Além, é claro, do conhecimento tecnológico, nós buscamos acima de tudo o fator comprometimento e alinhamento com os valores da DMCard. Tem que gostar muito de trabalhar em tecnologia, mas tem de saber ajudar e cuidar das pessoas ao seu lado, tem de querer de fato fazer a diferença.

 É isto que vejo nos profissionais que hoje já fazem parte da nossa equipe e é isso que buscamos em cada nova pessoa que queira fazer parte dela.

Que momento desafiador para a carreira de um profissional de tecnologia, não é mesmo? Mas pelo o que ele contou de como é apaixonado pela profissão e pelos desafios que ela traz, acreditamos que Fernando Oliveira, nosso Diretor de Tecnologia, está muito satisfeito com o resultado de seu trabalho aqui na DMCard e pronto para enfrentar tudo o que o futuro nos reserva.

Quer ficar sempre por dentro de tudo o que acontece aqui na DMCard? Para isso, acompanhe sempre o nosso blog e não esqueça de nos seguir em nossas redes sociais, no Facebook e no Instagram.

4+
Back To Top
×Close search
Buscar